Jantar para Quatro

“bambúrrio” é uma palavra que não é suficientemente usada, talvez por não soar nada ao que significa. sai mais natural dizer “um pneu furado quando estou atrasado para uma entrevista de emprego? que bambúrrio!” do que “encontrei o meu antigo melhor amigo, que não via há cinco anos, numa estação de serviço de Freixo de Espada à Cinta? que bambúrrio!”.

 

 

em outubro de 2011 tive, juntamente com o meu primo, uma ideia para um filme que até chegámos a escrever: um jantar de amigos em que tudo fosse desaparecendo

(primeiro um guardanapo, um copo, um talher, um prato)
(depois uma pessoa, a comida, mais loiça, outra pessoa, a toalha, as cadeiras)
(no fim ficaria uma só pessoa sentada a monologar, já sem mesa)

sem que ninguém se apercebesse de absolutamente nada
(as personagens estariam a comer e conversar e no plano seguinte não teriam prato nem interlocutor e nunca fariam referência a nenhum desses factos)

(o que me parecia maravilhosamente desconcertante)

mas em que ao mesmo tempo as conversas fariam indiretamente referências óbvias à situação

(por exemplo, falando do Boléro do Ravel, ou da maioria das músicas dos Godspeed You Black Emperor!, com as suas estruturas de crescendo contínuo que não são necessariamente percetíveis no momento mas apenas quando a música é considerada na sua totalidade)
(ou daqueles conhecidos vídeos do indivíduo vestido de gorila que nos passa pelo ecrã mas que não vemos simplesmente porque não lhe prestamos atenção)
(ou das peças do Beckett, sempre o Beckett, esta mesma lógica de decadência impercetível, “always the same, always worse”, como já ouvi a alguém)
(o monólogo final seria uma referência a uma peça do Schönberg que vi uma vez em que os músicos se iam levantando e abandonando o palco um a um, ficando no final apenas um a tocar sozinho)
(perguntando-se como interpretar essa escolha artística, se seria uma metáfora para algo)
(e concluindo que não, que tinha apenas sido uma ideia parva do autor)

 

(tudo isto me parecia muito esperto e muito meta)

(e ainda estou contente com o meu eu dessa altura por ter pensado nisso)
(was ist seitdem passiert?)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s